Artistas e Empreendedores. Não se matem.

Este texto foi traduzido de um post de James Altucher.

—–

 

Eu te amo, então eu não quero que você faça isso. Melhor você tentar salvar o mundo.

A) IGNORANDO A “REGRA DOS SEIS MESES”

Eu estava no conselho de uma empresa onde todos tinham os detalhes financeiros do mês e vimos que a empresa tinha seis meses de dinheiro no banco apenas.

Eu liguei para o Presidente da empresa (CEO). Ele disse: “não há problema. Temos seis meses. Vou levantar o dinheiro (pegar investimento com Investidores Anjos – VC) muito tempo antes disso e temos alguns grandes potenciais clientes em negociação.”

Não, você não vai.

Você já está fora do negócio se você só tem seis meses de caixa.

Levantar o dinheiro leva pelo menos seis meses do início ao fim. E isso é se você tiver um grande negócio.

Há reuniões com investidores em potencial, falar so negócio, due diligence, e, em seguida, o financiamento final legal, o que por si só é de cerca de um mês.

E novos clientes levam 2 meses para encontrar, 2 meses para implantar a solução e 3 meses para pagar. No melhor caso.

Acabamos indo em modo de emergência. Parar todo o desenvolvimento. Contratamos um banco para vender a empresa. E a empresa foi vendida quando tinha apenas de 3 horas restantes para o dinheiro acabar. O CEO ficou com milhões, mas foram três horas restantes para ir à falência e ele praticamente não sabia disso.

PERGUNTA: a regra 6 meses aplica a artistas?

SIM!

Ontem alguém me disse: eu vou sair do meu trabalho e escrever. Eu sei que o que eu escrever vai ser publicado se eu puder ficar concentrado em escrever.

Essa pessoa vai perder.

Ninguém está esperando por sua magnum opus. E você precisa de dinheiro no banco. E o trabalho é muitas vezes combustível para histórias.

Ou você fica motivado. Como em: “Ugh, eu odeio este trabalho, muito melhor eu escrever tão bom quanto possível.”

Não seja um bebê. Tenha seis meses de dinheiro no banco. Esse é o primeiro gosto de liberdade. Não espere menos do que isso.

B) EMPREENDEDORES FUMAM CRACK DE MAIS

Temos um viés cognitivo para pensar que a nossa merda não fede.

Uma vez eu estava começando um negócio e eu percebi no meio do caminho, através do desenvolvimento do produto, que eu tinha 5 concorrentes.

Eu comecei a chorar. Meu parceiro de negócios não poderia me animar. Minha ex-mulher não podia me animar. Minhas primeiras horas da manhã no Starbuscks com amigos não poderia me animar.

Meus desenvolvedores em Bangalore me animaram. “Não se preocupe. Vamos apenas fazer o seu produto melhor.”

Mas todos os dias eu tinha que perguntar, “eu estou realmente tornando o produto melhor? Isso é realmente uma funcionalidade que eu usaria? É este o recurso melhor do que as funcionalidades dos os outros sites concorrentes?”

Sobrecarregamos as funcionalidades do produto, mas valeu a pena. Nós vendemos o negócio em alguns meses antes que o mercado atingiu o ápice. Todos os nossos concorrentes saíram do negócio.

Você tem que perguntar todos os dias: “Estou fumando crack?” Porque de outra forma o seu preconceito quer dizer, “eu tenho o melhor negócio do mundo. Nós nunca podemos sair do negócio.”

PERGUNTA: Os artistas fumam crack?

Claro. Estamos todos fumando crack o tempo todo.

Uma amigo me disse que quando ele estava trabalhando num escritório de empréstimos, seu chefe lhe disse: “Nunca emprestar dinheiro a quem diz que ama o que faz.”

A razão: porque a paixão é como o crack. Ela cega para as falhas de sua arte, seu produto, sua empresa, seus amigos, etc.

É realmente difícil. Mesmo agora eu fumo crack (no sentido figurado obviamente). Eu olho para oportunidades todos os dias e todos elas me parecem tão emocionantes. Crack crack crack. Mmmm!

Execute seu negócio através de alguém que não se importa com o que você faz. Estes dirão: “você está fumando crack” ou, pelo menos, vão fazer as perguntas certas para que você prospere.

C) SÓCIOS

Seu parceiro de negócios é o seu pior inimigo.

Ele é pior do que seus concorrentes porque você está mais propenso a falhar por causa de um parceiro do que um concorrente.

Assim como o casamento.

Em meu primeiro negócio, eu dei um parceiro 10% do negócio. Então, um dia depois saiu e foi ele escrever para um programa de TV para a MTV. Eu não o culpo. Merda, eu queria trabalhar para ele.

Mas não era divertido. Tivemos que pedir dinheiro emprestado para comprá-lo. É colocar pressão sobre todos e eu fui responsabilizado por convidá-lo para a empresa em primeiro lugar.

Eu só tinha um investimento vendido a um preço baixo. O principal problema: os sócios discordaram.

Isso acontece em todos os negócios. É duro o suficiente para duas pessoas que se amam para permanecer casado. É ainda mais difícil para duas pessoas que não amam um ao outro para trabalhar durante todo o dia juntos e tentar fazer milhões.

Duas soluções:

Todos devem ter papéis claros. Não há “co-CEOs”. Você pode fazer isso e eu faço aquilo. Ponto.

Sócios que não colocam dinheiro devem adquirir ações – o que significa que obter um pouco de ações ao longo do tempo. Normalmente quatro anos. Se sair, eles só têm um pequeno pedaço de suas ações. Ou talvez nenhuma.

D) EMPREENDEDORES CONTRATAM PÉSSIMAS PESSOAS

Às vezes você precisa contratar pessoas.

Mas re-pergunte isso.

Uma vez que você contratar, você não pode demitir.

Tenha certeza de que não está contratando para tarefas que você pode fazer sozinho. Por exemplo, você não precisa de uma secretária para reservar os seus voos de avião e fazer reservas em restaurantes. Faça você mesmo.

Ou vendas. O fundador deve ser o cara de vendas para os primeiros 10 milhões em faturamento.

Não contrate 5 programadores. Estudos mostram a diferença entre um bom programador e um ruim é cerca de 10 para 1.

Então, contrate um bom e pague o dobro do que você iria pagar individualmente para 5 programadores medíocres.

O sucesso de um negócio, o sucesso de um relacionamento, o sucesso de uma cena artística, vai ser determinado pelas pessoas que rodeiam-se.

Se alguém não é A +, então é um F. Ele pode mais tarde ser um A +. Mas não contrate se suas únicas opções são Fs.

E não contrate se você não tem seis meses dinheiro no banco para apoiar o aluguel.

E) EMPREENDEDORES PREOCUPAM-SE COM COISAS INÚTEIS

Quem se importa se você é assim ou assado?

Quem se importa se você tem um logotipo e uma uma missão?

Eu não acho que a minha segunda empresa era bem sucedida até o dia antes que fomos vendidos. E eu não sei se alguma vez tive um logotipo ou cartões de visita. Esqueci.

As únicas coisas com que se preocupar são: o produto vai ajudar as pessoas? E eu tenho mais de seis meses de dinheiro no banco?

E constantemente se perguntando se você está fumando crack sobre as duas questões acima.

O que pode dar errado, por exemplo, que pode trazer-lhe menos de seis meses de dinheiro no banco? Quem você terá de demitir então?

Estas são coisas que vale a pena se preocupar.

Porque isso vai forçá-lo a manter boas relações com os clientes para manter o dinheiro fluindo. E vai forçá-lo a saber constantemente seus números e testar todos os recursos antes de gastar dinheiro com isso.

F) EMPREENDEDORES RUINS ASSUMEM RISCOS

Há um mito de que os empresários são tomadores de risco. Isto é MBA crack.

É por isso que 85% dos empresários quebram. Eles acreditavam no mito. Eles foram instruídos que em todas as suas vidas eles eram “bulldogs” e que podiam sobreviver a qualquer coisa.

Bem, fazer as pessoas felizes é realmente difícil. Cozinhar uma refeição melhor do que o restaurante da rua é realmente difícil. Construir um site que as pessoas vão para mais do que ir para o Twitter é realmente difícil.

Um amigo meu teve uma grande idéia para um negócio. Água proteína. Água pura com 10 gramas de proteína. Proteína de alta qualidade. Bom para beber após os treinos. Etc.

Whole Foods (rede de supermercados americana) começou a vender a água. As coisas pareciam boas.

Mas ele nunca testou se as pessoas realmente comprariam o produto.

Coloque um anúncio no Facebook. “Água com proteína. 10 gramas 0 calorias.” Se clicarem, envie as pessoas para uma página que descreve os benefícios e coloque-as em uma lista de e-mail.

Se um grande número de pessoas clicar – você pode ter um bom negócio. Desenvolver o produto.

Se ninguém clicar. Mude para outra coisa.

Meu amigo saiu do negócio.

A saída de um negócio não é uma “experiência de aprendizado”. É realmente doloroso. Você se sente como se estivesse morrendo.

É a pior coisa do mundo perto do que vou escrever em seguida.

G) EMPREENDEDORES RUINS TRANSAM COM FUNCIONÁRIOS

Acredite ou não, eu vejo isso o tempo todo.

Um CEO fica, literalmente, arrogante, e começa a brincar com os empregados. Esta é a morte para o negócio.

Eu queria ter pegado de volta o meu dinheiro no momento que descobri cada vez que um CEO estava traindo a sua esposa (ou marido).

Não que eles não sejam indignos de confiança. Essa não é a razão. Eu não julgo e eu não sei o que se passa na vida das pessoas.

Mas isso apenas significa que eles vão passar por um mundo de merda pessoal que eu não quero ter que lidar com como um investidor. Vai levar o seu foco fora do negócio.

H) ELES SE ESQUECEM DAS SUAS LEALDADES

Ser um empreendedor é uma porcaria em grande parte.

Quando você é um empregado, você faz o que seu chefe diz e você ajuda seus colegas e você sai do seu trabalho no fim do dia.

Quando você é um empreendedor você tem que:

Constantemente manter os clientes satisfeitos. Isto significa responder a e-mails e comentários em horários nem sempre desejáveis.
Manter os funcionários motivados e criativos. Isso não significa fazer conversas estimulantes. Isto significa, fazê-los trabalhar em algo que encontram significado e compreensão do equilíbrio trabalho-vida particular, para que eles possam ficar tanto disciplinada e feliz.
Mantenha acionistas felizes. Desde que eles façam cheques de emergência quando você vai abaixo de seus seis meses.
Todos os itens acima são os seus chefes 24 horas por dia. Enquanto isso, você é CEO, Diretor de Vendas, Diretor de Marketing e gerente do projeto para todos os projetos até que esteja totalmente fora da terra.

O que significa “fora do chão” significa? N’ão é ter seis meses de dinheiro no banco. Está apenas pisando em água.

Significa que você tem dois anos de dinheiro no banco com clientes estáveis.

By the way, esta análise se aplica a artistas e escritores?

Claro. Eu escrevo. “Os clientes” são os leitores. E eu tenho que trabalhar com os comerciantes, designers, pesquisadores, Amazon, outros escritores, podcasters, falando canais, mentores e canais de marketing alternativo.

Isto significa que a comunicação constante. Eu escrevo de manhã. E, em seguida, faço “negócios” na parte da tarde.

Faça uma lista de todos os grupos que você precisa para ser fiel. Esta fidelidade não é “aqui hoje, nada amanhã”. Estes são os grupos ou pessoas que vão impulsionar você ao sucesso.

Você precisa fazer essas pessoas de alguma forma a cada dia.

E não se trata de 2015. Isto é como a vida funciona há 10.000 anos.

I) EMPREENDEDORES RUINS BRIGAM

Eu sempre pergunto às pessoas sobre os seus concorrentes. Você sabe qual é a pior resposta? “Meus concorrentes são uma merda”.

Você sabe o que a melhor resposta é? “Claro, eu tive um café da manhã com o CEO da minha maior concorrente.”

Você e eu, estamos aqui por um longo tempo. Estamos todos indo num movimento para crescer no negócio juntos.

Às vezes seus funcionários se tornam seus concorrentes. Em seguida, eles podem se tornar seus patrões.

Eles podem comprar a sua empresa e depois a sua empresa ser comprada. E então eles poderiam ser seus funcionários novamente.

Nós aprendemos a ter idéias um do outro.

A Pixar iria aprender com a Disney como contar uma história. A Disney iria aprender com a Pixar como usar a tecnologia. Até que eles se fundiram e as ações da Disney dobraram.

PayPal (Peter Thiel) e X.com (Elon Musk) estavam constantemente tentando se sobressair um do outro. Até que eles se fundiram. Em seguida, sua maior concorrente (Ebay) os comprou.

Agora eles são a “máfia paypal” que domina o Vale do Silício.

Francis Ford Coppola e Martin Scorsese. Quando um fez o filme O Poderoso Chefão, o outro fez Taxi Driver.

Será que eles se odeiam? Claro que não. Scorsese até escreveu a música para o filme de Coppola “The Outsiders” e eles uniram-se em “New York Stories” (com Woody Allen).

Seus concorrentes são seu ambiente. Vocês vão se conhecer por mais de 50 anos. Então, respeito!

Os empresários que eu vejo desaparecer são os que nunca construíram uma comunidade ou amizade em torno de si com os seus pares.

—–

Eu não sou o melhor empresário. E eu não sou o pior. Mas eu já vi um monte deles. Eu comecei 20 empresas e quebrei 17 delas. Eu estou investido em 30 mais. Eu trabalho numa empresa de Venture Capital. Eu vi um monte de empresas falharem. Um monte de gente chorar.

Quero que as pessoas tenham sucesso. Porque depois há aquele momento mágico quando você sabe, “é isso. Isso é realmente vai funcionar.”

E esse momento é muito bom. Eu vejo isso nas pessoas. Suas vidas mudam.

Recentemente assisti a um negócio que eu estou envolvido sair do $ 0 em faturamento e ir para mais de $ 10.000.000 e rentável no prazo de 8 meses. Agora eles podem planejar o futuro.

Planeje novos produtos que possam ajudar as pessoas. E escreva cartas de agradecimento todos os dias para as pessoas que já está ajudando.

Em muitos casos, essas cartas são de concorrentes, porque eles trabalham juntos em projetos.

E em alguns casos, as cartas são de acionistas pedindo ajuda.

Artista ou empregado ou empresário, peça a cada noite, “Quem eu vou ajudar hoje?”. Isso ajudará você a evitar os problemas acima.

E se você falhar, por favor, não se mate. Você pode tentar novamente.

Mapa-competencias

Dicas para você arranjar um novo emprego de forma ativa

A maioria das pessoas quando precisa de um novo emprego, executa um processo passivo de se recolocar no mercado.

Processo passivo seria cadastrar seu currículo nos sites de vagas, candidatar-se a vagas e ficar aguardando o resultado sentado no sofá da sua casa assistindo Sessão da Tarde.

Até descobrir que isso não dará muito certo; o desespero começa a tomar conta do seu corpo.

Então aqui vai uma forma estruturada, ativa, de se buscar emprego no mercado de trabalho em tempos difíceis:

  1. Mapeie seu próprio perfil como candidato de acordo com as seguintes competências (figura abaixo) que são avaliadas pelas empresasMapa-competencias
  2. Liste possíveis vagas (ex: Analista Financeiro Júnior) e empresas você gostaria de trabalhar (ex: busque a lista das 1.000 maiores, empresas que estão no meu bairro, etc)
    1. Aqui vai uma lista de consultorias de RH para você prospectar:
      1. ASAP Brasil
      2. Randstad
      3. Talensses
      4. Weplace
      5. 2Get
      6. Plonge
      7. Hub
      8. HAYS
      9. Five Tem
      10. Flow
      11. Nowicki
      12. Grupo Empreza
      13. A2Z Consultores
      14. ABM Search
      15. Abrahams & Associates
      16. Acalântis Consultoria em R.H
      17. Acting Solutions
      18. Adecco
      19. A.H. Fuerstenthal
      20. Ágili Assessoria em RH
  3. Supondo que você viu uma vaga no site da CONSULTORIA XYZ, telefone para o recrutador responsável  e converse com ele sobre a posição que você viu em aberto. Busque entender se você tem o perfil (funções, salário, empresa, competências necessárias), e se você tiver, pergunte se pode enviar seu CV para ele.
  4. Se você usa o gmail, instale uma ferramenta chamada Sidekick para poder saber se o recrutador abriu seu email.
  5. Atualize seu Linked In; baseie-se em outros perfis referência para saber se o seu está bom ou não.
  6. Quando você ver que o recrutador abriu seu email, tente marcar um café com o recrutador, para você entregar seu CV presencialmente e conversar sobre possíveis vagas. Assim você inicia um processo de fomentar sua rede de contatos profissionais. Se o café não acontecer, tente ligar numa periodicidade razoável até ter um sim ou não para o café (ou para a vaga que conversaram)
  7. Quando conseguir uma entrevista, o recrutador sempre vai basear seu perfil em:
    1. Experiência profissional
      1. O que você já fez de positivo: aumentou receita? reduziu custos? inovou? áreas/cargos que ocupou.
      2. Foi demitido? Onde foi que você errou? Você reconheceu que possui fraquezas? O que você aprendeu com isso?
      3. Quanto ganhava no último cargo / empresa
        1. Se você ganhava 3.000, dificilmente vão te colocar numa vaga para ganhar 8.000.
      4. Maturidade para resolução de problemas, colaborar, fomentar outros líderes
    2. Formação Acadêmica
      1. Quem tem formação de universidades públicas sempre está na frente. A regra geral de pontuar quem são os melhores é nesta ordem:
        1. Universidades Públicas (USP, UFRJ, UFMG, etc)
        2. Universidades Privadas de renome (PUC, ESPM, FGV)
        3. Demais escolas (UNINOVE, UNOPAR, etc)
    3. Conhecimentos Técnicos
      1. O que você conhece da área que atua
      2. Idiomas que fala (se você não fala nada além do português, sugiro mudar isso já, pois a maior competência que uma pessoa pode ter é se comunicar, todo o resto vem depois; não se esqueça de que o mundo é globalizado)
      3. Tecnologias (word, excel, powerpoint são básicos e isso é obrigação sua saber. Se não é o seu caso, aprenda imediatamente a utilizar fórmulas básicas no Excel [PROC-C, PROC-V, TABELAS DINÂMICAS])
      4. Previsão de futuro para o setor da empresa, da sua área de atuação, das tecnologias utilizadas
    Dicas finais:
    Se você não está trabalhando, o recrutador vai querer saber o que você tem feito, o que tem aprendido neste tempo ocioso, quais relacionamentos tem feito profissionalmente.
    Use o http://www.onetonline.org/ (em inglês e espanhol) para saber um pouco mais sobre cargos, funções, atividades, tecnologias, competências.
    Busque trabalhar em áreas/setores/empresas que você tenha prazer. Ex: se você é aficionado por tecnologia, busque empresas/relacionamentos deste setor. Se você detesta falar no telefone, evite o telemarketing.
    Boa sorte!

Marketing para Startups: de 10 mil reais a zero de custo obtendo 50% taxa retorno

Já tem um tempo que queria escrever sobre uma grande estratégia que executamos na JobConvo – entrevistas virtuais para gerar leads (contatos de pessoas chave para vender).

JobConvo

O grande problema de uma empresa é gerar vendas. Para gerar vendas é preciso gerar leads. E para gerar leads, as empresas utilizam diversos caminhos e estratégias: desde comprar banco de dados (o que nem sempre é um bom caminho), contratar empresas de geração de leads/reuniões, até fazer propaganda no Google e redes sociais.

A JobConvo possui uma tecnologia de entrevistas online para otimizar o processo de seleção de candidatos das empresas. É um negócio B2B (business to business). Então, após estruturar nosso processo e discurso de vendas, fomos atrás dos leads.

Ao todo, nós gastamos 10 mil reais (aproximadamente) em campanhas online para gerar leads. Leads que nunca chegavam. Veja as tentativas:

  1. Google ads: a ferramenta de propaganda do google é interessante por ser de custo maleável, mas sendo nosso negócio B2B, as campanhas que criamos não geraram nenhuma empresa interessada na JobConvo, mas sim, gerava pessoas interessadas em cadastrar currículos (mas não somos banco de dados de currículos).
  2. LinkedIn ads: obviamente nosso público alvo são as pessoas de RH, pessoas que estão no LinkedIn. O grande problema de fazer campanhas no LinkedIn é o custo: 2 dólares por clique. E mesmo assim, o LinkedIn ads não nos trouxe nenhum lead, trouxe apenas curiosos que não se interessavam em nossa solução.
  3. Por último, utilizamos Facebook ads: a primeira vista é empolgante ver sua página e postagens sendo curtidas por várias pessoas. E algumas delas chegavam a acessar nosso site. Mas para a gente a propaganda no Facebook foi um fake. As pessoas curtem e compartilham, mas não sabem o que estão fazendo nem o porque. Facebook é entretenimento. Pelo menos em nosso ponto de vista.

Estávamos desesperados para gerar pessoas interessadas em nosso negócio e já havíamos gastado muito dinheiro.

Daí, fizemos uma coisa muito simples. Era nosso último recurso. Criamos um Google Form com as informações que precisávamos: 6 perguntas, para ser exato. Utilizamos encurtador de url do google, o goo.gl, e encurtamos a url do formulário para poder ser prático e ter a possibilidade de mensurar cliques.

Postamos a seguinte mensagem em algumas comunidades de RH no LinkedIn:

Campanha LinedIn

Em 2 meses, a custo zero, o formulário do google (feio e nada relacionado a identidade visual da JobConvo) nos gerou mais de 700 leads validados, centenas de comentários e likes.

O encurtador nos mostra a quantidade de cliques gerados:

Google Form

Agora me diga: qual campanha de marketing te dá um retorno de mais de 50%, na geração de leads, a custo zero?

Eu adoraria saber.

 

4 Métricas para Ajudar sua Startup a Tomar Melhores Decisões

Faturamento é a métrica mais importante quando se trata de uma empresa ou startup. Mas não é a única métrica que você deve se preocupar. Aqui estão 4 métricas tão importantes quanto o faturamento:

1 – Custo de Aquisição de Clientes (CAC )

CAC é a métrica que mais importa se você está na fase inicial de crescimento de sua startup, porque se você quiser sobreviver você precisará de usuários. Mas adquirir usuários custa dinheiro. A questão é o quanto custa adquirir usuários, e se esses usuários estão sendo rentáveis?

Para calcular o seu custo CAC , divida suas vendas e custos de marketing, incluindo despesas gerais nesses departamentos, para um determinado período, pelo número de clientes que você pegou durante esse período.

CAC = (CustoVendasMensal + CustoMarketingMensal) / NumeroClientesMensal

Um alto custo CAC significa que você está gastando muito dinheiro para adquirir novos clientes . Para baixá-lo você precisa para otimizar páginas de cadastro e página principal do site.

2 – Retenção de Clientes

Uma das coisas mais importantes sobre a retenção de clientes é que custa 6 a 7 vezes mais conquistar um novo cliente do que manter um cliente atual.

Além disso, pode custar 4 vezes mais para fechar um negócio com novos clientes do que para tentar fazer um upsell para um atual cliente. Isso significa que você não pode negligenciar seus clientes atuais!

Então, quem exatamente você deve focar? Existem três tipos de clientes que você precisa para pensar:

Atual – o que você pode fazer para tornar esses clientes mais satisfeitos? Se você não sabe , basta pedir um feedback.

Inativos – clientes que já pararam ou estão parando de usar o seu produto devem ser questionados do porquê.

… Vamos falar sobre o terceiro tipo cliente na seção seguinte .

3 – Clientes Perdidos

Essa é outra métrica muito importante  e que você deve ficar de olho. Quantos clientes pararam de pagar/usar pelo seu produto?

Algumas empresas medem a rotatividade de clientes perdidos a cada 30 dias. Outras, 90 dias, para não confundir um cliente inativo e que pode começar a usar o produto no futuro.

É importante estar ciente de que você vai perder clientes. Não há como contornar isso. O que você tem a fazer é descobrir um nível aceitável de perda.

A propósito, você sabia que fazer uma venda para um cliente perdido é 2 vezes mais propenso do adquirir um novo? Isso deve ser um bom incentivo para motivá-lo a descobrir por que alguns clientes deixaram de pagar por seu produto.

Se você tem clientes que estão deixando de usar o seu produto, tente fazer o maior número de entrevistas com eles. Você pode fazer isso por telefone ou e-mail , mas eu recomendo que você faça usando telefone. Eles vão sentir que você está mais próximo deles.

Uma ótima maneira de manter a métrica de Clientes Perdidos num nível baixo é utilizar dados e números que ajudam a prever o nível de perda e assim é possível criar planos de retenção personalizados.

4 – Valor Agregado ( ou Life Time Value – LTV )

É o quanto você espera ganhar de um cliente durante o tempo que ele está usando produtos/serviços da sua empresa .

Isso significa que você primeiro tem que saber quanto tempo a maioria dos clientes fica com você. Pode ser 6, 12 ou mais meses.

Para descobrir o LTV, você multiplica a receita mensal do cliente pelo período.

LTV = (ReceitaMensalCliente – DespesasProduto) x NúmeroMeses

Tenha em mente que você deve incluir todas as despesas relacionadas com a instalação ou manutenção de seu produto.

Você não precisa de uma educação universitária para ver que uma empresa falhará se o CAC é maior do que o seu LTV . É por isso que David Skok chama o CAC de assassino de startups.

Aqui estão duas diretrizes David sugere que pode ser útil :

  • LTV > CAC (O ideal é que o LTV deve ser cerca de 3 vezes o CAC para empresas focadas em SaaS ou modelos de receita recorrente.)
  • Busque recuperar o CAC em menos 12 meses, caso contrário, seu negócio vai exigir muito capital para crescer.

Obviamente o que você precisa é de um CAC muito menor do que LTV.

Abraço e bons negócios.

Email de um profissional desempregado e desesperado, após 20 anos de empresa

Recebi recentemente um email de um ex-colega de trabalho, pedindo ajuda (já desesperado).

Após uma reestruturação da empresa em que ele trabalhava, demitiram-no. Ele trabalhou por 20 anos na empresa e nunca se envolveu com outras redes de contato nem em outros mercados de atuação.

Veja o que conversamos (email na íntegra, com nomes em sigilo, por privacidade) e deixem seus comentários sobre o que pensam a respeito dessa situação:

[EMAIL]

Bom dia Ronaldo,

Espero que esteja tudo bem com você.
Sou o X que trabalhou no Laboratório de Controle de Qualidade na Nalco, enquanto você esteve por lá.

Gostaria de informar que desde Janeiro deste ano (2013), estou desempregado, após quase 20 anos de Nalco.
Após a Ecolab comprar a Nalco, estão ocorrendo várias mudanças no quadro de funcionários, inclusive os gestores como gerentes, diretores, etc.. e com a mudança da gerência, acabei sendo dispensado também.

Tenho tentado conseguir uma nova oportunidade de trabalho através de site de emprego, agencias de emprego, cadastro no site de empresas, e envio de CV para conhecidos, mas não esta sendo efetivo.
Estes dias atrás participei de um workshop, e nas discussões, foi comentado que a melhor maneira de se conseguir um novo emprego estando empregado ou não, é através do relacionamento e conhecimento de gestores de outras empresas.

Infelizmente, fiquei quase 20 anos pensando que sé existia a Nalco no mundo, e acabei me fechando para outras oportunidades, mas agora estou aprendendo do modo mais duro a tentar recomeçar tudo isso.

Não tenho muitos contatos a nível gerencial ou de diretor em outras empresas, e os que tenho, estou contatando para informar que estou disponível no mercado de trabalho. Minha última função foi de Supervisor de Laboratório, mas com bastante ênfase em ISO 9001, 14001, 18001 e 17025, sendo auditor interno destas normas.

Por favor, se você souber de alguma oportunidade de empregona parte de laboratório, qualidade, ou tiver algum conhecido que você possa me recomendar eu fico muito agradecido. Se quiser, me informe que eu envio o meu Curriculum. Agradeço a atenção e coloco-me a disposição para testes, entrevistas e maiores esclarecimentos.

Muito obrigado, antecipadamente.

Abraço

—————

[MINHA RESPOSTA]

Olá X,

Desculpe a demora em te responder.
Realmente é uma situação complicada.
Quando entrei na Nalco e vi pessoas com perfil semelhante ao seu (muitos anos de casa em uma única empresa, o que não fortalece o conhecimento de outras áreas do mercado tampouco o networking, gerando comodismo profissional), não duvidei que existia a possibilidade de acontecer isso. Vi isso acontecer também na Pepsico enquanto trabalhei lá (9 anos).
A boa notícia é que há saída.
Lhe pergunto:
O que você tem feito atualmente com seu tempo livre?
Você tem estudado?
Tem feito cursos (pode ser online grátis)?
Onde tem buscado fontes de informação para se atualizar? (blogs, pessoas)
Quais grupos você tem feito parte? (associações, discussões online, grupos informais do Google ou Linkedin)
Se caso você não tem feito nenhuma dessas coisas, sugiro começar já!
Se fosse você, também tentaria conseguir tempo para escrever um blog profissional sobre sua área.
Eu não tenho muito tempo livre mas sempre que sobra eu escrevo algo no meu blog: http://blog.ronaldobahia.com
Como você está já há muitos meses sem conseguir trabalho, também sugiro 2 coisas:
1 – Procurar trabalho (como voluntário, se for o caso) em ONG’s pois assim você vai conhecer outras pessoas e aprender novas coisas.
2 – Procurar ajuda de empresas de Outplacement/recolocação de carreira. Sugestão é um parceiro nosso, a Martins e Bueno ou a Career Center.
Espero ter ajudado.
Abr
Ronaldo Bahia